quinta-feira, 31 de maio de 2012

Êxtase Matinal




O ontem de hoje passou
e deixou
um aprendizado
mais do que constatado

nada como um dia após o outro.

O hoje de hoje chegou
trazendo a esperança
que estava perdida
mas se achou.

No ar, a ilusão garantida
as promessas contidas
em frases obtidas
de uma manhã vivida.

Dentro, a euforia
o êxtase absoluto
o todo sem luto
pelo inspirar do dia.

Dia sem nuvem
sem sombra
sem dúvida.

Dia de vida!

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Por quê?

Hoje não vou poetizar sensações positivas pois as quero sentir. Não gosto de escrever algo que não sinto, mas estou com um aperto no peito, um nó na garganta e quero colocar para fora.
Não quero que se perturbe com minha sensação fúnebre e impotente, simplesmente, exponho meu expoente que não obstante tristemente, está em crise.
Ainda ontem li em um blog que acompanho, algo interessante onde o autor dizia escrever não para agradar a terceiros. E é verdade! Concordo com ele. Minhas escrituras não tem fins lucrativos aqui no blog; escrevo para expressar minhas  emoções que acreditem, são intensas sem falsidade!
Quando digo que sou pletora, acreditem, sou!
Não sou bipolar, sou extrema nas sensações!
E hoje estou com um amargo na boca.
Com vontade de vomitar no outro o que me fez engolir para não discutir e perder a servis.
Sim!
Tive que ouvir algo quieta para não perder a razão.

Por que é tão difícil para a gente transpor nosso ego?
Por que é tão complicado ser sociável?
Por que a sociedade vive em aleivosia?
Por quê? Por quê? Por quê?
Perguntas que não apresentam respostas satisfatórias.

Porém...
Viver é preciso!


terça-feira, 29 de maio de 2012

Fulminante Amante



Em pensar que nunca almejei ser assim.
Quando me vinha nas reminiscências algo fora de mim
pouco tinha que dizer do resto
pois só apetecia você!
Gostaria que tivesse tido em amor
o quanto teve em ardor pelo meu instinto,
que tivesse tido em sentimento
a volúpia que tinha no monumento.

Mas
aprendi com você!

Minhas expectativas
criadas sem consentimento 
trouxeram-me dor
tristezas 
dias fúnebres
frio em calor morte em vida.
Sangramento do coração.

Mas
aprendi com você!

Aprendi a ser Igual.
Não consigo
ater-me a alguém
sinto fome de carne, de gente, 
algo incontrolável que só é domável depois que 
satisfaço minha libido.
Incrível, mas
aprendi com você!

Quero amar, mas
como aprendi com você
só tenho desejos, mas nada!
Não cabe em minha vida tal sentimento
que outrora me rendia em serventia
a vossa senhoria.
Hoje, sou fria
sofria
só.

Aprendi com você!



Dança do Ventre - Belly dance. Leila y derbake


Para pausar a música de fundo, olhe à sua esquerda abaixo na tela do seu computador e clique no ícone da pausa (ll).

Ela por si só, já é uma poesia sensualizada no corpo.

Espero por você.
Delírios e devaneios 
me enlouquecem
chamando por você.
Venha! Venha!
Estou como lenha
a querer que me tenhas...


Depois de postar uma poesia sobre a dançarina apaixonada que não era conhecida de seu amado (Dança Instigante), resolvi pesquisar mais sobre essa dança instigante e compartilhar com vocês sobre. 
Esta dança sempre me instigou. É uma loucura o poder de sedução!
Aqui estão algumas curiosidades e uma dica: Se puder aprenda!

dança do ventre é uma famosa dança praticada originalmente em diversas regiões do Oriente Médio e da Ásia Meridional com origem primitiva  entre 7000 e 5000 a.C, seus movimentos aliados à música e sinuosidade semelhante a uma serpente foram registrados no Antigo Egito, Babilônia, Mesopotâmia, Índia, Pérsia e Grécia, e tinham como objetivo preparar a mulher através de ritos religiosos dedicados a deusas para se tornarem mães. Com a invasão dos árabes, a dança foi propagada por todo o mundo. A expressão dança do ventre surgiu na França, em 1893. No Oriente é conhecida pelo nome em árabe raq sharqī (رقص شرقي, literalmente "dança oriental"), ou raq bládi (رقص بلدي, literalmente "dança da região", e, por extensão, "dança popular"), ou pelo termo turco çiftetelli (ou τσιφτετέλι, em grego). É uma dança sensual composta por uma série de movimentos, vibrações, impacto, ondulações e rotações que envolvem o corpo como um todo. Na atualidade ganhou aspectos sensuais exóticos, sendo excluída de alguns países árabes de atitude conservadora.
Aqui estão algumas danças folclóricas:

Candelabro: Elemento original egípcio, o candelabro era utilizado no cortejo de casamento, para iluminar a passagem dos noivos e dos convidados. dança-se, atualmente, como uma representação deste rito social, utilizando o ritmo zaffa. 

Taças: Variação ocidental da dança com candelabro.

Não precisa ser magra para dançar,
é necessário soltar e sensualizar o corpo
Khaligi: Dança genérica dos países do golfo pérsico. É caracterizada pelo uso de uma bata longa e fluida e por intenso uso dos cabelos. Caracteriza-se por uma atmosfera de união familiar, ou simplesmente fraterna entre as mulheres presentes. Dança-se com ritmos do golfo, principalmente o soudi.


Jarro: Marcada pelo equilíbrio, representa o trajeto das mulheres em busca da água. 

Säidi: Podendo ser dançada com o bastão (no ocidente, bengala) - dança do sul do Egito. 

Hagallah: Originária de Marsa Matruh, na fronteira com o deserto líbio.


Meleah laff: As mulheres trajam um pano (meleah) enrolado (laff) no corpo, representando o cotidiano portuário egípcio de Alexandria.

Não há como não se envolver na atmosfera do suposto "acasalamento".

Mais curiosidades, dicas e passo-a-passo você encontra no blog Dança do Ventre Brasil.




segunda-feira, 28 de maio de 2012

Sequioso - Sensação do Beijo



A água estava fresca, mas descia amarga
a pressa era tamanha que não percebia
enquanto bebia, tal frescor.
Na sinuosa descida
obstáculos envoltos
não obstantes para atê-la.
Seu destino já estava traçado
mas antes que sucedesse
seu trajeto foi interrompido pelo ímpeto de uma sensação majestosa
que me fez viajar do pólo norte ao pólo sul em fração de segundos
repousando nos lábios que me tocavam profundo.

Os meus nele, os dele nos meus.

As mordidas intercaladas com carícias linguais
trasportavam-me ao interior oriundo...
Palavras no mundo, não descrevem a fundo
sentimento jucundo daquele momento
que não foi eterno, mas eternizado
pela recíproca incondicional,
mensurada naquele toque
imposto pela condição de resposta do ato
de fato concretizado.

Resposta esta que segue completa!
O corpo arde em desejo
em uma sintonia sincronizada realiza o feito
estouvando a razão sem pejo
sobejo em um beijo.

E...por fim, a água chega ao seu destino
o que por um desatino, foi interrompido
voltou a ser vivido.



sábado, 26 de maio de 2012

Dança Instigante



Naquele instante ela surgiu,
apaixonante e envolvente,
bailava suavemente;
em seus movimentos curvilíneos
se perdia qualquer Apolo.

Era encantada!
Sua dança enfeitiçava a quem a admirava.
A cada gesto ornava sensualidade
em fugacidade com fragilidade em estabilidade.
A dançarina em êxtase, que a ninguém via,
transmitia em sinfonia
a sintonia amorosa que por alguém sentia.
Era óbvio seu sentimento.
Naquele momento
dançava para uma plateia
como se o fizesse 
para um único espectador
o seu grande amor.

Insensato coração!

Visto como as nuvens, mas inalcançável como o céu
desejável como mel e sentido como fel!

Assim seguia a dançaria:

em seus passos silenciava
em harmonia fantasiava
no vai-e-vem transformava
o que o seu interior almejava
mas no oculto gritava
por saber que amava
a quem não se abrilhantava
e seu Ser ignorava.

Mas não importava!
Ela o amava!

Era e,
é o suficiente para a dançarina continuar
a nos prestigiar com sua beleza
e a nos encantar com sutileza de sua grandeza,
demonstrada em seu simples bailar, o flutuar de seu sonhar!




Um Singelo Gesto Admirador

Jaqueline
Ilma. Professora Srª Jaqueline,

Saudações


Vou buscar um pouco das maravilhas da cacheira 7 (sete) quedas,
um pouco do brilho do astro rei Sol,
um pouco do perfume do jasmim perdido na selva amazônica,
furtar um pouco da serenidade da Lua que flutua solitária e 
intocável como és tu, 
e um pouco da brisa que passa neste instante tocando seus cabelos e trazendo-os para sua face 
comparando-a com aquela águia oriunda dos Estados Unidos da América, cujo ninho é construído no mais alto penhasco constituindo, hoje, o brasão simbólico dos bancos americanos.
Cachoeira SeteQuedas
Tudo isso busco com a lembrança que tenho de você, 
uma mulher inteligente, guerreira, corajosa e segura, 
uma verdadeira esmeralda lapidada. 
Queria ter a chance de vê-la novamente.

Deus te abençoe,

Jorge, seu admirador.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Razão Desconhecida



Gostaria de ter amnésia e esquecer o não vivido.
Sim, o não vivido!
Aquele fato que sinto saudade, mas não foi realizado
que sinto falta sem ter sido concretizado,
é esse mesmo!
O qual sonhei,
idealizei,
ansiei,
evoquei,
criei expectativas
e me frustei.
Mesmo assim relutei...
Reluto!
Eis o motivo da rebeldia
por mais que valia
não paro de querer um tal dia
realizar essa loucura
que minha razão desconhece
mas minha paixão procura.

Gostaria de ter amnésia e esquecer o esquecido.




quinta-feira, 24 de maio de 2012

Fome do Instinto



Estou enlouquecida!
Meu corpo grita!
Meu interior sussurra
com gemidos labuta
querendo a sensação de tocar...

Meus seios entumecidos
na matéria os sentidos
chamam por você atrevidos!
Passo pela rua
com a impressão
que todos sentem o que eu almejo
sentem o meu desejo
que atravessa com adejo
sem pejo minha pele,
transcendendo meu anelo.

Com meu olhar te procuro
com minha sede te busco
com meu interior te chamo
com meu instinto te caço...

Venha! Venha!

Mate esta vontade que estou de você
neste entardecer
até me satisfazer!


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Desejo Editado



                                                                         
Meu ser,
meu corpo,
meu tudo
precisa de Você!

Não você que me olha só para momentos,
não você que só deseja-me como um troféu,
nem você que só pensa em você!

Mas...Você que tem a capacidade de
olhar, desejar, pensar e apaixonar-se por mim, como sou!
Proteger-me quando eu precisar
e amar intensamente
cada instante de mim e de nós dois!

Você, um homem especial!
Tão especial que até então, não apareceu,
ou não existe,
 a não ser em minha idealização de homem.
Fantasioso
além de voluptuoso...
digamos
um cafajeste sem mácula. 
Existe?
Em meus desejos, sim, 
você existe!



terça-feira, 22 de maio de 2012

Efeito antigravitacional - Abraço



Fale a verdade, o abraço inesperado seja de um amigo ou ente querido é tudo de bom, não é? Lógico que vindo de uma pessoa mais do que especial dispensa comentários sobre a agradabilidade. Mas em compensação a sensação transcende a matéria e por instantes você se vê, aliás, você não se vê. Você sente uma entrega tão grande que palavras são meras para explicar tal sentimento. Você se perde dentro do abraço como se tivesse em um espaço sideral, perde o chão, perde a gravidade terrestre e paira no ar, no desconhecido, mas tão envolvido que ao perceber-se acabou o abraço. Delícia!!!
Hoje, 22 de maio, aproveite para abraçar quem você quiser e puder, afinal é o dia do abraço.

‎”Abraço tem que ter pegada, jeito, curva.
Aperto suave, que pode virar colo.
Alento tenso, que pode virar despedida.
Abraço é confissão. Abraço não pode ser rápido senão é empurrão.
Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho.
Abraço é para atravessar o nosso corpo.
Onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?
Meu palpite: dentro de um abraço..."
(F Carpinejar / Martha Medeiros )







Atmosfera Presencial




Para o amor não há fronteiras,
para o desejo não há ausência
para a contentamento não há abstinência
para você, sou o que queiras
para mim, és eloquência.
Ambos em frequência
bailamos pelo ar
você lá e eu cá.
Em sintonia lunar
juntos a imaginar
o amor idealizado.
Trazemos em um pensamento
o que estamos a ansiar
a todo o momento:
o nosso presenciar.
A manifestação
em materialização,
enfim,
a concretização
de nosso almejar
na transcendência ofuscar
a quimera do olhar
imediatista ao tocar.


segunda-feira, 21 de maio de 2012

Ledice Banhada


Entre quatro paredes,
milimetricamente, pequenas e frias
estávamos nós nos aquecendo.
Envolvidos um no outro
protegíamos-nos do
clima frio daquele ambiente.
Por instantes intensos
esquecemo-nos da temperatura externa
e vibrávamos a interna.

Nossa! Que delícia!
Enquanto a água deslizava pelo nosso corpo
nossos sentidos deslizavam no querer
um do outro...
Entre a saliva e a água estavam nossos lábios
envolvidos pelo desejo de sugar em recíproca
com a sensação de posse e entrega.
E com toda ledice satisfazíamos
em fantasia nossa euforia.

Que delícia!
Banhávamos a matéria
e lavávamos a sério
nosso desejo, nossa loucura
que pareciam não ter limites...
Salvo pelo clímax do instinto
não víamos o recinto
mas sentíamos como em outro lugar
o flutuar amenizar
depois do bem-estar
de todo o estouvar
nossa volúpia agradar em um banhar
o  nosso saciar.

Feminilidade

Mulher
Seja, mulher
o ideal que persigo!
Viva ao seu lado
inalcançável embora,
Deixe-me possuí-la
sem que me pertença, um instante só.
Seja a estrela imaginária
brilhando sempre, tocável nunca.
Que os seus véus, rasgados
mostrem-me outros que eu cobice.
Revele-se muito mas não toda.
Que o seu mistério seja tanto
que eu viva para descobri-lo.
Mate minha sede de amor
mas não afogue meus sentimentos.
Declare-se amante
sem dizer-me quanto.
Faça-me desejá-la
não que a conquiste.
Dê-se aos poucos
como o saber aos homens
de tal modo que sendo noite
eu a deseje dia
e, sendo triste
eu a queira alegre.
E que a impossibilidade de alcançá-la
seja, de fato
a razão possível do meu viver.

Luiz Carlos M. Nogueira


sábado, 19 de maio de 2012

Evasivo Entardecer




O ar está fúnebre,
o êxtase de outrora
dar espaço a um sentimento triste
a lua não aparece, 
o céu já escurece,
o clima não aquece,
o frio domina meu corpo
que como em froco
envolve-se num todo.

A pletora é domada por tal atmosfera
que o meu desejo não é mais quimera...
Por hoje, eu não sou fera
que dantes você fizera
o meu Ser como Era
transformou-se em vácuo...
Sinto-me vazia 
Sinto-me sem mim
Sinto-me calada
em explanada
Mas...Só por hoje
e mais nada!


sexta-feira, 18 de maio de 2012

Poema & Poesia

Em uma reunião pedagógica na qual participei, na instituição em que trabalho, dias atrás, trocávamos ideias sobre os artistas valencianos e, lógico que, o que me chamou a atenção foi um livro intitulado "Viver, ato poético" escrito pelo valenciano Luiz Carlos Monteiro Nogueira em 1979. Foi amor a primeira vista (rs) à obra que eu não conhecia e por este fato, vou compartilhar com vocês uma de suas poesias, que diferencia com o famoso "jeitinho brasileiro", poesia de poema. Leiam e sintam:


Lê-se um poema,
sente-se poesia.
Se poema é a forma,
poesia é conteúdo;
se poema é rio,
poesia é movimento;
se poema é a lua,
poesia é luar;
se poema é a letra,
poesia é música;
se poema é a flor,
poesia é perfume;
se poema é o corpo,
poesia é vida;
se poema sou eu
poesia é você;
se você é o poema,
seja eu poesia...

Luiz Carlos Monteiro Nogueira (1979)




quinta-feira, 17 de maio de 2012

Estar Pletorizado - Apeles


"Na tentação não se cai se mergulha, assim a culpa vale à pena"
Vivo um conflito interno comigo mesma
às vezes,  avantesma
outras seresma
Sou Apeles
vou de um extremo ao outro
como bipolar
mas não deixo abalar
pela significância do teimar
que faz exteriorizar
o dentro está..

Sou intensa
sou pletora
nas horas amenas
a  toda hora
sinto em um dia
o que geralmente
leva-se semanas para sentir...
Em instantes vai-se o eclodir
a entrega é total
seja bom
ou seja mau
o momento é crucial
mas depois é fatal!

Mas...no depois torna-se feito
o que é um desfecho
trágico
mágico
encantado
finalizado
precedendo
um novo momento 
que no acontecimento
já paira no ar.
O melhor é vivenciar
cada momento e 
aceitar o que remediado está
afinal, 
sou mais que bipolar
sou o estar!.



segunda-feira, 14 de maio de 2012

Sentir Você - Essência Transcendida


Sentir você é sentir o ar com o respirar
Sentir você é viajar no imaginar
Sentir você é com sabor saber viver
Sentir você é contemplar a delícia do prazer
Sentir você é passear com labor
nas nuvens sem pudor, mas com valor!
Sentir você é o estar enlouquecido!
Sentir você é permitir o proibido...
Sentir você é liberar a libido...
Sentir você é ter a ledice do sentido...
...com volúpia... ser envolvida!

Sentir você é mergulhar  na sensibilidade
dos sentidos...sentidos em cada momento de meus delírios...
Sentir você é me perder em mim mesma!

Sentir você é encontrar-me
em uma imensidão de sensações incontroláveis
mas indispensáveis em meu Ser.

Sentir você é mais do que querer
Sentir você é transcender meu viver!



domingo, 13 de maio de 2012

Reminiscências De Uma Filha - No Cofre Forte

Estou compartilhando com vocês, meus leitores, um pensamento de uma amiga muito querida, que ainda não a conheço pessoalmente, salvo pelo facebook, Sueli Santos. Minha querida companheira dos passeios faceboqueiros fez uma homenagem póstuma a sua querida mãe Dagmar.












Saudades mãe!
Os anos se passaram tão rapidamente
Às vezes penso que foi ontem ou até mesmo hoje
Perdi a noção do tempo
Penso nas horas em que estive ao teu lado

Nas horas que brincamos e rimos
Sentadas naquela varanda
Olhando as suas belas flores do jardim
E nas noites de céu estrelado
Quando ficávamos olhando as estrelas
Fazendo contato com o divino iluminado
Traçando sonhos a serem concretizados
Nunca cansou de me ouvir e eu te escutar
Éramos apesar das desavenças amigas
Você era o meu sol que clareava
E eu a lua que reclamava da sombra da nuvem
Que lá bem alto no céu passava
Ah! Quanta saudade no meu coração
Se o tempo pudesse retroceder eu queria
Abraçar-te novamente sentir seu carinho
Abundantemente
E não te deixar sozinha novamente
Aquele dia fatídico eu sabia que não deveria
Ter partido
Tinha que ter estado lá como sempre estive
Ao teu lado sorrindo amparando e te amando
Mas o destino é cruel e nos põe a boca o fel
O que mais sinto é não ter me despedido
Você não me esperou e partiu sem dizer Adeus
Até hoje tenho todos os pormenores na mente
E ainda não acredito que partiu tão de repente
Mas sabe! Mãe... Guardar-te-ei no cofre forte
Naquele que somente a gente entra
Naquele que tantos querem entrar
Sueli Santos
Mas não é para um ser indiferente
É somente para quem sabe amar a gente
Assim como te amei e sei que me amou
Pois sempre foi a Mãe que sonhei ter
Sua lembrança está neste lugar guardada
Perfeitamente bela e maravilhosa como era
Dentro deste cofre que posso quando quiser
Encontrar-te a qualquer momento
E matar a saudade que me mata lentamente...
Aqui! Mãe... Dentro do meu coração


Sueli Santos

sábado, 12 de maio de 2012

Devoluto Ser

Vago
toda sabedoria esvai-se no
vácuo do nada
quando se percebe o vazio do Ser.

Por que se é?
Para quê se é?
De onde vem?
Para onde vai?

Vago
O muito se vai...
O pouco se vai...
O Nada... permanece!

Vago

O Ser não é...
O Ser não será...
O Ser já foi!

O Nada existe!
E observando este nada
podemos ter certeza do Deus que existe
para sustentar o Tudo do Nada
e o Nada do Tudo.

Em Tudo o achismo
Mas no Nada a realidade.
O Nada existe!


quinta-feira, 10 de maio de 2012

Em Uma Avenida - Celeno






Em uma tarde fresca e ornada pelo pôr-do-sol, uma moça sentada  na avenida, distraída em seus devaneios mentais, permaneceu  por um bom período de tempo. Quem passava por ela, jamais imaginaria o que se estava em sua mente! Sentindo o ar fresco tocando sua pele e entranhando nas veredas de seus sentidos, estava aquela moça! Seus pensamentos transcendiam o local e colocavam-na em um ambiente voluptuoso, rodeada por rosas vermelhas, aroma de absinto, coberta somente por um lençol de cetim vermelho, com seus longos cabelos negros alvoroçados pelo movimento... o batom bem vermelho destacando o desenho de sua delicada e sensual boca e... ao seu lado...a companhia mais agradável que uma dama pode querer neste ambiente: o cavalheiro! Educado, carinhoso, atencioso, porém apimentado com uma atmosfera deliciosa de sensualidade misturada ao rústico do Ser masculino. Deitado de lado oferecia-lhe uvas colocando-as em sua boca, sua língua atrevia-se a aparecer discretamente, aumentando a pulsação daquela moça...um instante envolvente, junto com a uva, os dedos masculinos tocavam sua boca, que involuntariamente, mordia-os...hum...seu corpo chamava-o: - Te quero! Vem! Faça parte de mim e sejamos um, agora! - e com isso...ele nela, ela nele. Ambos permitiam-se o desejo do instinto corporal humano em uma sintonia indescritível! O vai-e-vem da silhueta...o gemido da ledice...o cavalgar do cavalheiro...eram simultâneos e revezados com a amazona - pois assim que aquela moça estava sentindo-se ser: uma amazona! Essa troca de sentidos, de vontades, de desejos, de loucuras era intensa e recíproca e só foi interrompida com um grito ao longe da avenida, era a mãe da moça desvanecida! Chamando-a para a realidade, para sua realidade! Uma moça pacata com delírios de uma mulher atrevida!





quarta-feira, 9 de maio de 2012

Avesso do Universo Feminino Contemporâneo - Reflexão


Desfilando pela rua, assobios
balançando o cabelo, sussurros
sorriso discreto, linda
sorriso tímido, cativante.
passos seguros, elegante
olhar sexy, atraente
você me deixa doido

Em casa, silêncio.
Na varanda, reflexão.
Na sala, vazio.
Na cozinha, frieza.
No quarto, solidão.

Meu dia-a-dia:
na rua em meio a elogios sinto-me só, 
porém notada, vista, contemplada
em casa, sinto-me só, porém SÓ!
Em um mundo de pó!
Que transforma meu ser em um nó!

Sou ou não sou?
Não sou.
Nem serei.
Eu fui.


segunda-feira, 7 de maio de 2012

Homenagem à vida! - Ao poeta Carlos Brunno

Prof. Carlos Brunno declaiming

Hoje, 7 de maio, quero homenagear um colega, que mesmo com tamanha sapiência, inteligência e importância, encontra entre uma tarefa e outra, um jeito de solidarizar com o próximo. Alguém que não mede esforços para despertar em seus alunos o gosto pelo delicioso mundo da literatura, seja árcade, seja urbana, ele consegue fazê-lo e fazê-lo bem!!! (a redundância é proposital).
Meu caro colega/poeta e agora amigo Carlos Brunno, sou agradecida, assim como sua família e sua amada Juliana Guida, pela sua existência entre nós, meros mortais!
Obrigada por permitir-me entrar um pouquinho em seu mundo tão gigante de intelectualidade.
Obrigada por fazer de jovens leitores, brilhantes poetas, como Geovane, Larissa, Érick e outros mais.
Obrigada por colocar um sorriso (e que sorriso!!!) no lindo e meigo rosto de minha amiga/colega/poeta Juliana Guida.
Obrigada por abrilhantar o mundo dos blogs com suas Solidões Compartilhadas.
Obrigada por ser solidário comigo, dando-me a oportunidade de poetizar meus sentimentos para o mundo, e obrigada compartilhar sua sabedoria!

Quando eu penso você
vem em minha mente
a imagem forte de um homem 
com suporte
que não vive de sorte
mas de porte
não que isso importe
talvez, só como suporte
para minha rima aporte! (risos)

Mas sem trocadilhos

Carlos Brunno S. Barbosa
valenciano nato,ornato e grato 
cuja vida não tem moldura pronta
mas construída ponta a ponta.
A sua história se conta 
e reconta...
e conta que reconta 
com certa pompa
pois desponta
seu talento que apronta! 
Afinal, é poeta!
Precisa vivenciar 
para inspirar 
e nos abrilhantar
com o seu compartilhar!
Parabéns!!!


"(...)
Tenho poesia
dá-me inspiração...
para eu seja;
um poeta completo!"  
(Hono) 

domingo, 6 de maio de 2012

Mundo de Ninguém



Estava assistindo a um filme épico em DVD e fiquei observando os acontecimentos, à medida que ia aproximando o final, o entusiasmo aumentava, já prevendo como seria... mas fiquei decepcionada quando terminou! Segundo a mitologia grega, os deuses não interferem na vida dos mortais, todos têm o livre arbítrio. E por isso, o mocinho morreu, tudo retornou ao começo dando-nos a impressão de que os feitos seriam repetidos com o filho dele. Em nossa visão humana romântica e solidária, o final do filme, no mínimo, deveria ter sido feliz, mas foi feito como na vida real... Idealizamos, sonhamos, criamos expectativas, fazemos planos, sorrimos, choramos e não sabemos como chegaremos no final, só idealizamos o que queremos para a vida, e na maioria das vezes, esquecemos que o final é a morte. Somos meros mortais! Em nossa individualidade cada um tem sua importância, mas no coletivo, somos iguais! Ninguém é melhor do que ninguém. 


Neste mundo de ninguém
algo nos sobrevém
na humanidade intervém
mas a vida retém
em suas mãos vai bem
sem comandar o desdém
mas induzindo aquém
o Ser de alguém
que não pode mandar
apenas direcionar
e finalizar o estar!







sábado, 5 de maio de 2012

Alguém Me Roubou de Mim!!!

Certa tarde, ao sair do trabalho

andei pelas calçadas da cidade,
admirando tudo o que via
desde o homem que deitado dormia
até os raios solares do dia!
E em meio ao êxtase de calmaria
que naquele momento eu sentia,
pude ver um ser diferente
vindo em minha direção
com andar seguro
e olhar maduro
parecia vir de outro mundo.

Sim, era ele, o sedutor!

O único homem que foi capaz
de me levar assim,
de sequestrar
o "eu" de mim

roubando minha subjetividade
   minha personalidade
      sem intencionalidade,
         sem responsabilidade,
            com muita sensualidade.

Ele mesmo não percebia
   que enquanto percorria
       seu trajeto em seu eu
         furtava minha autoria
E com ele o meu "eu" seguia

Que utopia!

Perdi meu "eu" sem guia
espero encontrá-lo um dia.










sexta-feira, 4 de maio de 2012

Humanidade em Aleivosia


Quem disse que sonhar é pecado?
Quem disse que o certo está certo
e que o erro está errado?
Deliberar devaneios
por alguns meios
faz parte do ser humano
que insano
pensa profano
mas o ufano
usa o engano
para viver!

Que ironia!

Na humanidade
falta humanismo
que disfarçado de idealismo
e pingos de ceticismos
apresenta dinamismo
Não seria hipocrisia?
Pregar o que não se vive
e dizer que é livre?

É agradável aos ouvidos
lindo aos olhos
filosofar comovido
o que não se tem vivido
mas se tem querido
pela sociedade.



quinta-feira, 3 de maio de 2012

Amor - Pois que é Palavra Essencial



Amor - pois que é palavra essencial
comece esta canção e toda a envolva.
Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,
reúna alma e desejo, membro e vulva.

Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
até desabrochar em puro grito
de orgasmo, num instante de infinito?

O corpo noutro corpo entrelaçado,
fundido, dissolvido, volta à origem
dos seres, que Platão viu completados:
é um, perfeito em dois; são dois em um.

Integração na cama ou já no cosmo?
Onde termina o quarto e chega aos astros?
Que força em nossos flancos nos transporta
a essa extrema região, etérea, eterna?

Ao delicioso toque do clitóris,
já tudo se transforma, num relâmpago.
Em pequenino ponto desse corpo,
a fonte, o fogo, o mel se concentraram.

Vai a penetração rompendo nuvens
e devassando sóis tão fulgurantes
que nunca a vista humana os suportara,
mas, varado de luz, o coito segue.

E prossegue e se espraia de tal sorte
que, além de nós, além da prórpia vida,
como ativa abstração que se faz carne,
a idéia de gozar está gozando.

E num sofrer de gozo entre palavras,
menos que isto, sons, arquejos, ais,
um só espasmo em nós atinge o clímax:
é quando o amor morre de amor, divino.

Quantas vezes morremos um no outro,
no úmido subterrâneo da vagina,
nessa morte mais suave do que o sono:
a pausa dos sentidos, satisfeita.

Então a paz se instaura. A paz dos deuses,
estendidos na cama, qual estátuas
vestidas de suor, agradecendo
o que a um deus acrescenta o amor terrestre.

Carlos Drummond de Andrade

12 Passos Para Seduzir o Companheiro (Strip-tease Simples)

Como eu disse anteriormente em 10 dicas para manter um relacionamento sem cair na rotina, muitas mulheres têm timidez e vergonha de atuarem para seus companheiros. Elas dizem que eles não gostam! Gente!!! Podem ter certeza que se eles verem uma mulher fazendo um stripper, vão ficar enlouquecidos (pelo menos a maioria). É fato! Para não ficar envergonhada, comece em um dia, somente tirando a roupa e esfregando-se nele com carinho e carinha de sem vergonha (felina), em outro dia coloque um música sensual de fundo, por exemplo uma que se chama *Enigma, é apropriada para esse momento voluptuoso. Aos poucos você vai soltando a felina que há dentro de você.




Todo homem deseja degustar
sua fêmea quer provar
com a natureza bailar
até por prazer jorrar
e sua ânsia saciar.
Ao ritmo musical
em sinfonia natural
desejos ocultos transcender
nesses instantes de prazer!!!

Linda leitora e amiga confidente, por experiência sei do que estou falando! Não quero que se torne vulgar! Quero que se torne uma amante para seu companheiro, só para ele! Não em momento integral, mas esporádicos, afinal você também se cansa!
Vou explicar agora um jeito simples e gostoso de levar seu companheiro à loucura! Você pode dizer: Mas Jak, meu companheiro detesta isso e vai rir de mim!!! - Eu digo para você: Quando ele ver as mulheres semi-nuas da TV, ele parece detestar??? Ah...eu duvido!!! Geralmente, "quem desdenha quer comprar". Deixemos de falar e vamos aos passos para um bem-sucedido stripper:

1-Prepare o ambiente, sem barulhos e com uma música de fundo como: Sarah mclachlan silence

2-Sensualmente, inicie uma dança mexendo lentamente o quadril, passando as mãos pelo corpo, delicie-se e ao mesmo tempo delicie seu companheiro.

3-Desabotoe sua blusa ou tire-a, sem parar de balançar lentamente seu corpo...muito bom! Demonstre segurança, não fique nervosa, você tem que passar firmeza! Não tire a blusa com pressa, deixe-a deslizar pelo seu corpo e lance-a em cima de seu amor.

4-Como citei antes, não tenha pressa, dance conforme o ritmo, lentamente, balançando o quadril, esfregando sua mão em seu corpo e ponha o dedo na boca, fazendo denguinho e chupando-o lentamente, deixe sua língua aparecer discretamente - ele vai ficar doido!!!

5- Desça a mão pelo pescoço, faça um pressão suave em seu seio, passe pela cintura e pare no bumbum; suba novamente...lentamente, bem sexy! Solte o cabelo, balance-o. Com cara de "safadinha/maliciosa" imagine que está dizendo para ele que ele ainda não viu nada!!!

6-Com uma cadeira faça charme variando suas posições sensuais, passando as mãos pelo seu corpo, desde a perna até a nuca, "faça caras e bocas" para ele.

7.Levante-se continue tocando seu corpo com sensualidade, vire-se de costas, sem tirar o olho de seu companheiro, devagarinho comece a tirar a saia ou calça (neste caso prefira saia) deixe deslizar pelas pernas, balançando sensualmente o quadril, tire os pés de dentro da calça ou saia sem olhar para o chão, treine antes, pois requer um pouco mais de equilíbrio.

8-Só com o sutiã e a calcinha (com um echarpe transparente fica tentador) de costas, apoie-se na parece, empine o bumbum, flexione as pernas lentamente e olhando para seu companheiro rebole suavemente.

9-Agora de frente, finja que irá tirar o sutiã levantando e descendo a alça... acaricie seus seios.

10-Sem deixar de movimentar-se, vire-se novamente de costas e desabotoe o sutiã. lance-o em seu querido, cubra seus seios com os braços ou mãos, fingindo não querer mostrá-los.

11-Deslizando as mãos suavemente dos seios até o quadril insinue tirar a calcinha, mas...não tire! Sinalize com o dedinho, chamando-o para tirá-la.

12-Para finalizar  minhas dicas, quando ele for esfregue-se nele, deixe-o sentir sua temperatura...daí para frente é com vocês!


Obs. Meu segredo é treinar antes, caso você seja muito tímida use um echarpe transparente para deixá-la mais à vontade, isso pode até aumentar o clima de suspense entre vocês! Não se preocupe em realizar todas as 12 dicas, preocupe-se em satisfazer seu ego e o seu companheiro, mas procure realizá-las com firmeza e segurança.


*Enigma ( Sarah Brightman) era a música tocada anteriormente aqui em meu cantinho.







terça-feira, 1 de maio de 2012

Endrômina Adulta


Seria tudo mentira?
Quando menina queria crescer
e conhecer alguém 
para em meu mundo viver,
Como nos filmes em que eu assistia,
e em recíproca jazer
com os olhos fitos na poesia
meu delirar infantil sobressaía.

Seria mentira?

Sentir meu corpo a desenvolver
minha silhueta transparecer
meu seio crescer
Minha vida aparecer!
Para quê?
Quimera tê-los para alguém admirar
desejar e tocar.
Isso eu maquinara ao ninar

Seria mentira?

Na infância, há pureza
delicadeza, franqueza,
tudo com destreza!
Sem tristeza ilusória
ou insulto suplício.
Ah... aurora de outrora!

Não! Não era mentira!

Era verdade,
era a minha verdade!
Cresci. Desenvolvi.
E aqueles filmes deixei de assistir,
mas a volúpia do amor
mesmo com dor
e imbuído de valor
insiste em existir!
Em minha veia pulsa
em meu sangue circula
contaminando meu ser
que tema em idealizar
aquele amor ingênuo
e estrênuo
de minha velha infância.
Que nos dias atuais em insignificância
foi trocado pela ganância
dos adultos em instância!


*Imagens: Google